Pedalar é uma das maneiras mais agradáveis e satisfatórias de mexer o corpo. Além de benefícios à saúde, proporciona passeios por lugares lindos, desestressa e relaxa. Entretanto, quem está pensando em entrar de cabeça no mundo do ciclismo deve ter muito cuidado e atenção ao escolher a bike ideal.

Muita gente fica confusa nesse momento, afinal, são tantos os modelos, tamanhos e preços que acertar em cheio na hora de comprar a primeira bicicleta parece uma tarefa impossível, não é mesmo? A boa notícia é que tendo algumas questões bem claras em mente, é possível, sim, escolher a bike mais adequada ao seu corpo e objetivos.

Quer saber mais sobre esse assunto? Então não deixe de acompanhar a leitura de nosso post de hoje!

Primeiro passo: defina seus objetivos

A primeira coisa que você deve ter clara na hora de comprar sua bike é o objetivo para utilizá-la: lazer? Competição em asfalto? Competição em trilhas? Esportes endurance, como triathlon? Passeios esporádicos na praia? Deslocamento até o trabalho?

Acredite, essa questão influencia — e muito! — o estilo de bike a ser adquirida. Existe um modelo para cada tipo de pedalada, desenhado para proporcionar conforto, velocidade, performance, facilidade de transporte, entre diversos outros fatores.

Se a sua meta é passar a ir e voltar do trabalho pedalando, por exemplo, comprar uma bicicleta super pesada e difícil de transportar pode ser um tiro no pé e fazer você desistir rapidinho da empreitada. Ou se você quer passar a competir no asfalto, em modalidades que exigem velocidade, adquirir uma bike adaptada para trilhas prejudicará sua performance.

Segundo passo: procure uma loja especializada

Outra dica de ouro é sempre adquirir sua bicicleta em lojas especializadas no assunto, as chamadas bike shops. Esses locais contam com profissionais que conhecem tudo sobre o assunto e poderão lhe auxiliar de maneira muito mais efetiva a encontrar a bicicleta perfeita para você, de acordo com seus objetivos e metas.

Terceiro passo: determine o tamanho do quadro

Assim como suas roupas e sapatos, você deve ficar de olho no tamanho ideal de sua bike. Acredite, isso faz muita diferença! Se você adquirir uma muito pequena ou muito grande para você, o risco de lesões, desconforto, dores musculares intensas e até mesmo quedas é muito maior!

Muitos modelos são fabricados em tamanhos padrão, enquanto outros possuem um leque maior de altura e comprimento de quadros para escolha, cada um adaptado a um biotipo distinto. Altura, comprimento das pernas e dos braços e distância entre o pé e o quadril são medidas que devem ser levadas em consideração antes da compra. Converse com o profissional da loja e sempre faça um test drive antes de comprar!

Quarto passo: escolha o tipo de bike

Com os objetivos e tamanho do quadro bem definidos, chega o momento de escolher a bike que melhor atende a esses dois quesitos. De maneira geral, existem três tipos de bicicleta: mountain, speed ou magrela. Cada um deles é subdividido em subgrupos e estilos, mais abaixo descreveremos as características principais de cada tipo em geral. Confira:

Mountain

São as bikes desenhadas para a prática de Mountain Bike. Justamente por isso, costumam ter rodas mais grossas e são fabricadas em materiais mais resistentes para aguentar o impacto de trilhas, estradas de terra esburacadas e terrenos acidentados, característicos do esporte. A maioria dos modelos já vêm de fábrica com suspensão traseira e freios à disco nas duas rodas.

Os quadros podem ser feitos de aço (mais pesados), alumínio ou fibra de carbono (mais leves e, por isso, mais caros). O tamanho de aro mais comum é o 29, pois facilita a passagem por obstáculos e roda melhor em terrenos planos. Porém, se esse aro for grande demais para você, existem opções de aro 26 e a novidade no mercado, aro 27,5.

O tamanho do quadro desse tipo de bicicleta varia de 15 a 22 polegadas. Como já dissemos, para escolher o ideal para você é necessário prová-los.

O número de marchas também varia bastante, geralmente entre 18 e 24. Aqui, especialmente se você é iniciante, vale investir em um câmbio com menos marchas, mas que seja de melhor qualidade do que um com muitas marchas de baixa qualidade, que não vai efetivamente lhe ajudar durante as pedaladas por terrenos acidentados ou muito íngremes, típicos das duras trilhas de Mountain Bike.

Speed

As bikes Speed são aquelas desenhadas para as competições de asfalto, ainda não tão difundidas no Brasil como as de Mountain Bike. Como o objetivo aqui é a velocidade, possuem pneus finos e delicados e são fabricadas em materiais leves, como alumínio e fibra de carbono.

A posição de pedalada na modalidade Speed não é muito confortável. Para aumentar a aerodinâmica, o selim é mais alto que o guidão e o ciclista pedala bastante inclinado. Em baixas velocidades, o risco de queda é alto, por isso, só adquira esse modelo se realmente a velocidade for o seu objetivo, ok?

O tamanho do quadro varia entre 48 e 62 centímetros e deve ser escolhido de acordo com sua altura. As marchas aqui são bastante importantes, especialmente para auxiliar o ciclista a imprimir boa velocidade às pedaladas em subidas e descidas.

Magrela

São as clássicas bikes de lazer, indicadas para quem deseja praticar ciclismo aos finais de semana, no parque, ciclovia ou praia ou até mesmo utilizá-la como meio de transporte. São robustas e desenhadas para proporcionar conforto durante as pedaladas.

Existem uma infinidade de modelos, tamanhos e estilos. Confira os mais comuns:

  • Urbana ou mobilidade: desenhada para deslocamentos na cidade. Proporcionam conforto e estabilidade e há opções de câmbio com até 21 marchas, que auxiliam e facilitam a pedalada em retas, subidas e descidas.
  • Single Speed: bicicletas urbanas sem marcha. Mais leves, elas não exigem tanta manutenção e são ideais para quem vive em cidades planas ou planeja pedalar em ciclovias.
  • Dobráveis: febre na Europa, as bikes dobráveis possuem aro 20 e são facílimas de transportar quando dobradas, caso você precise pegar um ônibus ou metrô durante o trajeto. Mas atenção: elas também são mais difíceis de pedalar, especialmente em curvas ou declives. Só adquira se realmente for dobrá-la, ok?
  • Comfort: desenho diferenciado, focado no conforto do ciclista. Ideais para lazer e passeios na praia e em locais planos, já que são mais pesadas, o que dificulta a pedalada em aclives.
  • Híbrida: mescla dos modelos Mountain e Speed, é a mais indicada para trajetos urbanos rápidos. Com mais velocidade que os modelos Mountain, mas mais lenta que os Speed, aliam praticidade e conforto. Há modelos com câmbios automáticos.

Gostou de descobrir como escolher a bike ideal para você? Então assine a nossa newsletter e receba em primeira mão mais conteúdos interessantes como este!

Share: